Home » » CONTOS QUE UM DIA TE CONTO VII

CONTOS QUE UM DIA TE CONTO VII
















Inverno em alta, a estação chegou com vontade de deixar todos em casa e com Vertigo não é diferente.Sábado a noite e nada para fazer, pensava Vertigo no meio de sua sala escutando um belo MPB.Telefone toca, Vertigo olha e pensa: Quem será?

_Alo!!

_Alo gatinho, tudo bem??

_Tudo!! Quem fala?

_Vai dizer que já me esqueceu? Ou são tantas que você já está confuso, rsrs.

_Oi Liz! Não é isso, é que eu estava dormindo, estou acordando entende.

_Humm...Sei! Mas vamos sair, ir a uma festa?

_Festa!? Não sei, nesse frio eu queria ficar em casa e beber um vinho, o que acha?

_Hummm...Vamos lá, depois tomamos o vinho, garanto que não vai se arrepender.

_Ok! Te pego as oito.

Vertigo foi tomar um banho e ficou pensando naquela morena, olhos claros, 1,65 ou 1,67 de altura, delicia de menina.Vertigo conheceu Liz numa festa da faculdade, ela cursava pedagogia e a Bruninha os apresentou.Vertigo ficou louquinho com a morena que perecia adivinhar e ficava provocando ele, até que ela teve coragem e a convidou para dançar, a pista de dança estava um pouco escura e Vertigo puxou a gata para um canto mais reservado.com muita calma ele foi dançando e acariciando as costa da moça,descendo com sutileza pela bundinha empinada de Liz que retirava, também com muita sutileza, a mão do atrevido que sorria e dava um tempo até começar investidas.Depois da dança, Liz pediu para ir embora e perguntou se ela deixava em casa.Tudo o que Vertigo queria, e foram para casa.

Vertigo começou a conversar com Liz enquanto no rádio tocava Bryan Ferry e a clássica “Slave to Love” .Conversa vai, conversa vem e Vertigo continuava com suas investidas sutis, colocava a mão na coxa de Liz que agora deixava para ver até onde ia aquela mão que não parava, segundo ela.Foi quando Vertigo parou num estacionamento de uma escola e literalmente agarrou Liz e começou a beijá-la e quando perceberam já estavam nus e se amando...

_Ola!! Nossa você está linda como sempre!!

_Ola Vertigo!! Obrigada!!

_Vamos a que festa?

_Da minha prima Mercy, lembra dela?

_Sim!! Mas é aniversário?

_Sim!Mas não vou demorar, quero o seu vinho...

_Humm...Então vamos!!

Depois de duas horas na festa, Liz deu uma desculpa a sua prima e foi com Vertigo para tomar o vinho prometido.Ao chegar na casa de Vertigo, ele sugeriu que “eles” tomassem um banho de banheira quentinho, Liz na hora topou e já foi retirando seua roupa, ficando só de calcinha.Vertigo olhou para ela e disse que as coisas já iam esquentar mesmo antes da banheira.Liz sorriu e foi direto para o banheiro, tirando a calcinha e deixando no chão para o delírio do rapaz.

Enquanto a banheira enchia, Vertigo abraçava Liz por trás e acariciava seus seios com uma mão e com a outra acariciava sua xana depiladinha.Vertigo vira Liz e beija sua boca, enquantos suas mão vão acariciando a gata que se contorce e dá gritinhos de prazer ao sentir o dedo indicador de Vertigo sendo introduzido de leve na sua bundinha....

Liz então desce até a pênis duro de Vertigo e passa sua língua contornando todo o pênis e vai mordendo de leve, fazendo Vertigo ficar mais e mais rígido.Vertigo observa aquela mulher chupando seu pau e diz que vai gozar, ela retira o pênis da boca e diz:

_Goza que quero tudinho...

Vertigo ao ouvir isso não se conteve e gozou gostosamente naquela boquinha.

Depois ele pegou Liz e começou a beijar seu corpo, depois desceu para sua xana depilada e passou a língua nos lábios vaginais da gatinha que já estava a dar gritinhos e gemidos, depois com a língua Vertigo foi penetrando naquela xaninha deliciosa e parando no clitóris de Liz, Vertigo a fez gozar e neste êxtase Liz pediu:

_Mete, mete na sua putinha...Vem!!

Vertigo colocou Liz de quatro e penetrou na sua xaninha molhadinha e deliciosa e os dois gozaram novamente.

Depois do banho, já no sofá, Vertigo e Liz comemoravam a vida com um Vinho do Porto e já começavam a se olhar daquele jeito...

VERTIGO

 
Support : Copyright © 2015. Hot Maduros - All Rights Reserved