Home » » A professora

A professora





































Nasci em Campos no interior do estado do RJ, vim para Capital muito novo. Tenho 32 anos sou moreno, 1,78 alt, 70 kg, não sou um típico bonitão, nem tenho um corpo atlético, mais ganho pela simpatia. Vou relatar uma coisa que aconteceu comigo quando eu tinha 16 anos. Era mês de junho, época de férias escolar, fui visitar minha irmã que na época tinha 30 anos e morava em Campos, passado uma semana lá, eu já estava entediado, querendo voltar pra casa. Tudo mudou quando a minha irmã me comunicou que iríamos a uma festa de aniversário, aí pensei até que enfim alguma diversão.

Esperamos o namorado dela chegar, pegamos o ônibus e fomos chegando lá. Fiquei meio que isolado de inicio, mais depois festa e festa. Curtimos a festa até o final isso já era umas 03h00min da madrugada, me despedi dos “amigos”, e fui de encontro à minha irmã. Que estava acompanhada com uma amiga, uma morena da cor de jambo bem bonita, curvas normais e depois fiquei sabendo por ela que a mesma tinha 32 anos.

Naquela época eu não tinha carro e nem idade nem dinheiro para ter um, e sabe como é cidade pequena, ônibus naquele horário não existia. Então foi decidido que iríamos andando pra casa, e como diz o ditado (é sebo nas canelas), minha irmã abraçou o namorado e saiu andando, e eu segui andando do lado da morena que chamarei aqui de “Fifi”, era uma noite de céu estrela, ventos fracos, mas gelados, não sei quem começou a falar, só sei que conversávamos, ela me perguntando o que eu fazia no RJ, fora estudar e brincar, eu disse que quase não brincava, pois trabalhava como menor aprendiz em uma empresa Federal, entre outras coisas, ela me disse que tinha uma filha de 12 anos e que só estudava....

Nisso depois de 15 minutos andando ela me perguntou se eu estava com frio, eu disse que não, então ela falou que estava e me perguntou se poderia andar comigo abraçada, falei que sim, sem maldade nenhuma, conversa vai conversa vem, ela começou do seu relacionamento falou seu casamento arranjado, que o marido dela tinha 52 anos e sofrerá um câncer na próstata, confesso que não estava entendo nada, mais a Fifi, estava cheia de maldades, me disse que por causa desse problema o marido era impotente. E que não tinha relações ha muito tempo. Perguntou-me se eu tinha namorada, não lhe respondi, pois em seguida me perguntou se eu era virgem, respondi que não, pois eu já tinha feito o ato 03 vezes, então ela me disse: “você é inexperiente” e riu... Ficamos calados por alguns minutos, então eu pensei: “será que ela ta me dando mole” foi quando eu percebi que ela estava levantando a minha camisa, eu perguntei se havia algum problema, ela disse que estava com a mão gelada e queria esquenta - lá. Parei de andar, olhei pra frente já não via a minha irmã, então como ela estava abraçada comigo, não tive muita dificuldade em lhe dar um beijo, e que beijo, ela enfiava a língua dentro da minha boca, como nenhuma menina ainda fizera, foi uma loucura. Não demorou muito e ela já estava com a mão no meu pênis, porém do nada, ela parou e disse: “estamos próximos do nosso bairro, vamos parar naquela pracinha ali” me guiando direto pra lá. Uma praça só com um ponto de luz. E é lógico que ficamos na parte mais escura, ela tomando a atitude, foi logo me beijando e abrindo o zíper da minha calça e tirando o meu membro pra fora, abaixou e começou a me chupar, nosso até hoje me lembro, aquilo pra mim era sul real, ela beijava, passava os dentes, olhando pra mim, nossa que viagem, então ela parou, se levantou e tirou a calcinha, pois a mesma estava de saia, eu não acreditava no que estava acontecendo, ela se apoio no banquinho pra praça levantou a saia até a cintura e disse: “vem novinho carioca, mete esse piroca na minha buceta. Eu nervoso fiquei meio paralisado, então ela segurou o meu pau e o guiou até a entrada xota que estava muito molhada. Meti e como meti, fiquei uns 15 minutos no vai e vem em pé, ela falando um monte de coisas e até mesmo me xingando, disse para ir mais rápido, pois iria gozar, aquela palavra me instigou então acelerei mais e perguntei se estava bom, ela disse que sim, olhei pra ela, ela estava virando os olhos e começou a tremer e comprimir o meu piru com a boceta. Aquilo fez com que eu anunciasse que gozaria, ela me disse pra gozar fora, não entendi mais o fiz, tirei de dentro dela e gozei. Então ficamos nos beijando, não passou nem 3 minutos e eu já estava em ponto de bala, ela me perguntou de eu queria mais, eu disse que sim, então falou, por isso que não deixou gozar dentro, pois queria uma 2ª vez. Não perdi tempo e comecei a bombar a xota dela, fiquei mais uns 20, ela já tinha anunciado que já tinha gozado 02 vezes, perguntei se poderia gozar dentro, ela disse que sim, então depositei todo meu leite dentro dela. Minhas pernas tremiam, ela limpou a xota com a calcinha e me deu de presente. Não dissemos mais nada um pro outro, ela se ajeitou e me levou até o portão de casa, minha irmã estava lá com o namorado me esperando chegar, a Fifi me beijou no cantinho da boca e disse baixinho: “não lave nunca a minha calçinha, e me aguarde, pois terá mais”. Sorri pra ela e entrei.

Fiquei mais 20 dias na casa da minha irmã e confesso estava de férias na escola, porém tive aulas particulares... Rsrsrs.

fonte:http://www.casadoscontos.com.br/texto/201201382

 
Support : Copyright © 2015. Hot Maduros - All Rights Reserved