Home » » CONTOS: Fazendo gozar num onibus pra campinas

CONTOS: Fazendo gozar num onibus pra campinas





































Ontem tive que ir bem cedo para a cidade de Campinas pois teria um curso de aprimoramento em massagem facial, preferi ir de ônibus para poder ir mais relaxada por isso ficou combinado do meu marido me deixar na rodoviária do Tiete no outro dia bem cedo. Acordei e como estava frio coloquei uma calça leggin preta, uma bota marrom e um monte de blusas, rs. Meu marido me deixou era por volta de 7:30 e fui para o embarque.

Fui uma das primeiras a entrar e pra não ter nenhum tipo de incômodo sentei no último banco, algumas pessoas entraram depois de mim mas o ônibus não chegou a encher, na verdade no fundo só tinha eu e depois chegou um cara e sentou no ultimo banco so que do outro lado. Começou a viagem, coloquei meu fone de ouvido e inclinei bem a poltrona pra cochilar, mas pelo reflexo no vidro percebi que o cara estava me comendo com os olhos e mexendo entre suas pernas. Continuei olhando e vendo que ele era bem discarado, ao ponto de estar sentado de lado, virado pra mim, se massageando por cima da calça. Eu continuei fingindo que estava dormindo, mas dai fiz que acordei e tirei meu casado e uma blusa, ficando só com uma camisa, e detalhe, com dois dos botões abertos deixando parte dos meus grandes seios amostra. Fiz isso sem virar pro lado, coloquei as blusas o banco do lado e continuei a fingir que dormia. E pelo reflexo via que ele continuava se massagear. Eu estava adorando ver aquele cara com tesão por mim. Fiquei mais um tempo ai resolvi apelar. Como sabem minha bunda é enorme, e com calça legging não costumo usar calcinha e então fica tudo entrando , marcando, enfiado. Ai me espreguicei, peguei minhas duas blusas me levantei e coloquei na parte de cima do banco onde ficam as malas, fiquei com a bunda virada pra ele e como fiquei na ponta dos pés ela deve ter ficado ainda maior e mais empinada. Sem olhar pra ele sentei no banco, mas não onde eu estava antes, sentei no banco do lado e me deitei pro lado, encostando a cabeça na janela e com minha bunda virada pra ele. Só que agora não tinha como eu ver o que ele estava fazendo.

Fiquei uns minutinhos assim, ai me levantei com tudo, e o safado estava com a mão dentro da calça e visivelmente com o pau bem duro, afinal ele estava de roupa social. Olhei pra ele, ele ficou sem graça, mas logo virei, e peguei minhas blusas de volta e h=joguei no banco pra voltar pra mesma posição só que agora apoiando a cabeça nelas. Voltei a me deitar de lado com a bunda virada pra ele, esperei um pouco e virei meu rosto, ele estava com a mão dentro da calça de novo, mas como ele viu que eu estava provocando não ficou sem graça desta vez, olhei pra ele e falei “poe pra fora deixa eu ver como é”, ele desabotou a calça e colocou, um bela dum pau grosso e cabeçudo, era pequeno mas muito grosso, falei pra ele que tinha adorado, comecei a passar a mão pela minha bunda, fazendo movimentos circulares, enfiando o dedo dentro das nadegas, ele então ficou ali se masturbando todo a vontade. Resolvi provocar mais, e fui abaixando um dos lados da calça, deixei uma nadega de fora, ele me olhou assustado, eu falei baixindo “goza aqui”, ele veio todo empolgado e eu falei “calma, fica olhando e batendo só venha pra cima pra gozar na minha bunda senão alguém pode ver”, ele continuou e mais 1 minutos ele levantou e meio que se jogando em cima de mim começou a gozar na minha nadega direita, jatos e jatos grossos, quentes, espessos, até que gozou a ultima gota, ai comecei a passar a mão na minha bunda espalhando toda sua porra, melando tudo, ele voltou e sentou no seu banco. Eu peguei na minha bolsa lenços umedecidos e limpei minha bunda e ele assistindo, dai levantei a calça, me sentei e coloquei o fone no ouvido e voltei a cochilar. Mas não demorou e ele me cutucou, tinha sentado do meu lado, e veio se apresentar, disse que também era casado e que estava muito excitado ainda, mas expliquei que não tinha condições de fazer mais nada porque alguém poderia ver.

Perguntou um pouco de mim, contei que sou massoterapeuta, ele me elogiou e perguntou se eu sempre fazia aquilo, eu sorri e pedi pra ele procurar meus relatos na net depois. Ele perguntou se eu estava sem calcinha, e o pau do safado continuava duro, falei pra ele “olha pra você me deixar em paz, sente-se virado da frente, e se concentre”m ele ficou sentado, com o pau de fora, eu dei uma olhada ao redor, ninguém por perto, e então subi de frente nele, de calça mesmo, e encaixei minha buceta no pau dele, e sem calcinha entra um pouco, comecei a rebolar com gosto no pau dele, e nos dois sem poder gemer, mas eu tava com tanto tesão pela situação que eu não aguentei enfiei a língua na orelha dele e falei “cacete to gozando no seu pau”, um frio me correu a espinha toda, eu queria era sentir ele dentro de mim e já chegar outro cara e enfiar atrás, mas, enfim na hora só dará pra ser aquilo. Terminei de gozar, dei uma levantadinha e encaixei o pau dele na entrada do meu cu, por fora da calça mesmo e falei “sente como meu cu é quente e gosta de pau”, fiquei forçando pra baixo, pra baixo, e o cara não aguentou e começou a me apertar, forçar mais pra entrar e senti bem quente, era porra, o safado tava gozando no meu cu pela calça, melando tudo, um pouco passando o tecido e me melando. Ai sim i pau dele amoleceu. Dai me levantei e pedi pra ele voltar pro lugar dele, me arrumei como pude, passei lenço umedecido na calça, deu pra dar uma enganada.

Dai continuamos conversando, eu sem muita paciência pra conversa e ele querendo mas, mas não era possível. Ele pediu meu telefone e passei , pedi pra ele me ligar naquela noite, em pouco tempo chegamos em Campinas e fui embora. Detalhe, passei meu celular falso, claro.

FONTE: http://www.casadoscontos.com.br/texto/20110621
 
Support : Copyright © 2015. Hot Maduros - All Rights Reserved